Fibromialgia

Fibro fog

 

Sintoma típico da fibromialgia, resumindo é a dificildade de se concentrar e manter a concentração, esquecimento. Tem gente que confunde com TDHA mas não tem nada a ver. No meu caso é uma das coisas que mais incomoda porque até 2007 eu tinha uma memória exemplar, guardava nomes, números, endereços, rostos, era um computadorzinho ambulante. Mas hoje  me vejo esquecendo coisas básicas, sério que tive até medo de ser os primeiros sintomas de alzheimer…me incomoda mesmo esquecer palavras e isso acontece nos momentos mais impróprios, tipo, quando eu realmente preciso lembrar a porcaria da palavra, cadê? sumiu!!? E eu sou blogueira, consultora, trabalho com internet, converso, escrevo quase o dia inteiro e muitas vezes me pego interrompendo o assunto pra perguntar pra pessoa: “como é mesmo aquela palavra que quer dizer tal coisa?” pior quando esqueço até o que a palavra quer dizer né? Pensa numa pessoa louca?

E como é que eu lido com isso? Com bom humor né benhê? Rindo de mim mesma e das palhaçadas que eu faço, tô cada dia mais desastrada, desligada, esquecida. Ler tambem é bom, fazer palavras cruzadas, manter uma agenda de compromissos, nomes, etc. Ajuda sim, mas eu parei. Desde que comecei a terapia me vejo e me aceito de outro jeito…não tenho que ser perfeita. E daí que esqueço as coisas? É só mais um motivo pra gente rir, e não tem nada melhor no mundo do que fazer alguem rir!

Porque eu to falando disso hoje? porque tô tentando desesperadamente lembrar uma palavra e não consigo…daí pensei que escrever pudesse ajudar – não ajudou…então vou lavar uma louça, quem sabe né?

Bjkinhas!

Anúncios

Fibromialgia na Boa Forma

323-capa-fernanda-lima-assine

Esqueci de falar que a revista Boa Forma desse mês tem uma matéria bem bacana sobre fibromialgia, quem quiser baixar no IBA, só R$ 3,30!!!

Dia mundial da fibromialgia

380222_309401485803361_100002005351007_693108_618036432_n

Falando como paciente, não é fácil não, mas se a dor é inevitável, o sofrimento é opcional. Digo isso porque nesses 5 anos de diagnóstico aprendi que posso amenizar ou piorar os sintomas, depende do meu estado de espirito. Bom humor ajuda muito, eu e minha eterna TPM já percebemos isso, então optamos pelo meio termo: humor negro e vamo combinar que não tem nada melhor que ser capaz de rir na nossa própria condição.
Eu mantenho o mesmo tratamento desde o começo, mas em janeiro comecei a terapia de grupo e tô adorando, tem me ajudado muito. Então se puder dar um conselho eu diria pra fazer terapia, independente do tratamento que escolher, eu demorei pra começar, mas agora me pergunto porque não fiz isso antes? Aprender a resolver nossas questões internas melhora muito a qualidade de vida!
A ioga tambem é uma ótima opção…viver zen é meu sonho de consumo…

Falando nisso: Namastê pra você!

A sindrome da fibromialgia

Do grupo de fibro no face, por Jussara Mariani

Na medicina oriental sabemos que as doenças quase sempre são derivadas de desordens psicológicas provenientes de medo, angústia, raiva, falta de ânimo, stress, etc.
A Fibromialgia é uma síndrome dolorosa crônica, não inflamatória, caracterizada pela presença de dor musculoesquelética difusa (ou seja, dor no corpo todo). Sua causa ainda é desconhecida. Existem controvérsias quanto à sua origem.
Fiz um estudo baseado na minha própria experiência, pois ninguém melhor do que o próprio paciente para poder explicar o que acontece. Mesmo sendo impossível explicar em palavras o grau de intensidade dessa dor.
A doença me pegou num momento frágil, quando eu já estava doente com uma gripe de longa duração que culminou com uma pneumonia. Apesar de utilizar medicamento alopático, foram as terapias alternativas que me levantaram. Mas nada daria resultado se não fosse o apoio de minha família, de meus médicos e de meus amigos. O mais importante é querer vencer mesmo tendo a impressão de que não se vai sair dali.
Actualmente sabe-se que a fibromialgia é uma forma de reumatismo associada à sensibilidade a um estímulo doloroso. Pode prejudicar a qualidade de vida das pessoas por isso o paciente deve ser levado a sério em suas queixas. Como não existem exames complementares que por si só confirmem o diagnóstico, a experiência clínica do profissional que avalia o paciente com fibromialgia é fundamental para o sucesso do tratamento. São várias as causas que podem desencadear a fibromialgia: uma gripe mal curada, estresse, um trauma repentino, podem levar o paciente a desenvolver esta doença.
A fibromialgia, além da dor constante, afeta a qualidade do sono, pois temos quatro fases no sono. Na fibromialgia a pessoa tem três fases e volta para a primeira. Por isso quando essas pessoas acordam têm a sensação de cansaço extremo e de não ter dormido. Acaba desencadeando a depressão, pois o fato da pessoa acordar e dormir com dores constantes e torná-la muitas vezes impotente para o trabalho, a torna depressiva, o que deve ser levado a sério e buscar ajuda profissional o quanto antes.
Mas com visão da Medicina Tradicional Chinesa, o que leva uma pessoa a ter esse mal? Geralmente são pessoas que engolem as coisas, que adoram agradar os outros que fazem tudo com o máximo esforço, ou seja, esticam suas forças até o fim do elástico. Têm a fala mansa e baixa. Para os outros parecem pessoas calmas e equilibradas. Vi nessas pessoas, através dos atendimentos que fiz, um desequilíbrio de fígado, o que explica que elas sentem raiva mas não expressam isso. Esse desequilíbrio afeta também outros meridianos como bexiga, por isso as pessoas sentem tantas dores nas costas e meridiano do baço, o que as torna depressivas e apáticas.
Como a natureza dessas pessoas é geralmente servil, elas muitas vezes negam o tratamento por não quererem mudar sua vida. São avós que cuidam de netos e filhos e casa e trabalho, são mulheres que trabalham fora e cuidam de casa, marido, filhos, e por aí vai. Isso explica o fato da fibromialgia ser uma síndrome que acomete principalmente as mulheres, pois existe na mulher o arquétipo da escrava. Ela quer ser aceita, valorizada, amada e sentir-se útil.
É difícil romper paradigmas, mas nosso corpo dá sinais quando o caminho está errado. É importante voltar-se para si e valorizar a qualidade de vida. Algumas pessoas se negam prazeres em prol de outros e das obrigações do dia-a-dia. É valorizando-se primeiro que se vai valorizar o outro, é amando-se primeiro que se vai amar o outro. Primeiro você, depois o outro, seja ele quem for, filho, marido, pai, mãe, irmão. Se a pessoa faz mais do que pode, fala menos do que quer, fatalmente, vai desencadear uma doença qualquer, pois é o resultado da implosão de suas insatisfações.
Por isso, na fibromialgia, além de vários tratamentos convencionais e complementares, o importante é o paciente se amar, se valorizar, respeitar os seus limites. Não desperdice sua existência. Se você está doente pode estar deixando passar a sua missão para a próxima, o que vai atrasar a sua evolução. Ame, viva, mas antes de tudo pense em você.
Apesar da fibromialgia estar descrita como incurável, hoje não tenho nenhum dos sintomas descritos, pois mudei minha qualidade de vida, meus pensamentos, aprendi a dizer não. Aprendi a fazer o que gosto e a fazer as pessoas respeitarem isso. Aprendi a me amar e a amar a vida, a perdoar e a aceitar o próximo tal qual é. Aprendi a ter fé.

Jussara Gonçalves
Terapeuta Holística trabalhando com Radiestesia, Feng shui, Feng Shui da Personalidade,Reiki, Cristais, Pirâmides, Florais, Aurículo, Cromoterapia, Aconselhamento Metafísico, Drenagem com Orientação Alimentar
Contato: juzinhamariani@hotmail.com

Insonia produtiva?

Não sei exatamente quando comecei a ter insonia, acho que foi na adolescência. Irônicamente, sempre gostei de dormir – meu sonho é fazer uma terapia do sono, tipo dormir até enjoar, mas enquanto isso, tive que aprender a lidar com ela de forma positiva, pra manter a sanidade. No final da adolescencia tomei remédio pra dormir, fiquei viciada e os efeitos colaterais não eram muito agradáveis, sofri muito pra ficar sem, por isso jurei pra mim mesma que nunca mais tomaria remédio sem antes tentar outras formas – mais saudáveis – de lidar com o problema.
A medida que o tempo foi passando percebi que não adianta tratar o sintoma, tem que tratar o motivo, no caso da insonia, ela pode ser consequencia da ansiedade, então, tenho que tratar a ansiedade, fácil né? Não sei o que é pior: ficar sem dormir por causa da ansiedade ou ficar ansiosa por que não consegue dormir, enfim, bati muito a cabeça, mas encontrei um jeito positivo de lidar com as duas.
Tem muita coisa que me tira o sono, o cansaço, ansiedade, tensão, nervoso, tristeza, preocupação, dor…e as vezes por nada, essa é a melhor insônia que existe, aquela que a gente simplesmente perde o sono e fica ligadona a mil por hora! eu sempre penso que podia ser pior, lembro da época da fibromialgia quando a dor não me deixava dormir, então hoje, agradeço a Deus por não estar com dor.
Antes quando tinha insôna ficava rolando na cama até perder a paciência e chorar, me desesperava. Quando minha mãe era viva, corria pra cama dela, nada que nem colinho de mãe pra fazer a gente dormir. Hoje em dia, tenho o marido, mas ele nem sempre tá com paciência, então já viu né? Daí o que eu faço? Levanto e vou ler, venho navegar na internet ou fazer alguma coisa que gosto e não seja muito barulhenta porque minha casa é pequena e não quero atrapalhar o sono dele. Tenho até um kit insônia pra emergências: meus seriados e filmes favoritos, alguns livros, sites e programas de tv que posso assistir, mas as vezes faço as unhas, passo roupa e já fiz  bolo e pintei o cabelo…eu procuro ver a insônia como algo positivo,  um momento pra entrar em contato comigo mesma e com Deus, as vezes procuro entender o motivo de estar acordada pra evitar o mesmo erro no futuro (nem sempre dá, mas eu tento).
Pra prevenir eu faço alongamentos, massagens e exercicio de respiração antes de dormir, tambem me sinto ótima quando eu faço meditação – isso tudo ajuda bastante tambem a suportar os efeitos da insônia, evitar o mau humor, irritabilidade, dor de cabeça, olhos ardendo (se fizer os exercicios com os olhos fechados), falta de concentração, cansaço exagerado e depressão (não é o meu caso, mas pode acontecer). Tem gente que evita dormir durante o dia, eu não, se puder tiro um cochilo, no máximo  30 minutos, só pra repôr a energia, senão chego no final da noite horrivel. As vezes tô tão cansada que fico na cama, quietinha, prestando atenção na respiração, tentando relaxar, uma coisa que eu não faço nessas horas é pensar em coisas ruins, a menos que tenha brigado com marido, ai, fico roendo a fronha pensando que devia pôr pimenta na cueca dele…enfim…vou aproveitar pra dar uns conselhos pra quem convive com gente que tem insonia tá?
Não façam isso de pressionar a pessoa pra dormir tá? Se ela diz que não com sono não é o fato de você falar que vai fazer o sono chegar! Tambem não adianta brigar porque ela fica nervosa, as vezes a gente passa tanto tempo sem dormir direito que isso afeta nosso sistema nervoso e a gente perde o controle facilmente. Coloque-se no lugar da pessoa. Não queria medicar ninguem se você não é médico. O abraço ainda é o melhor remédio pra quase tudo – no caso da insônia, sentir que a outra pessoa se importa e está ao nosso lado por ser mais eficiente que muito medicamento. Ahhh, mais importante de tudo: não discuta antes de ir pra cama, nem fale em assuntos polêmicos, dolorosos ou coisa parecida, principalmente se você sabe que isso a deixa abalada…
Ah o marido? coitado, já tá acostumado, acordar a noite e dar de cara com o zóião aberto, pior quando ele acorda porque eu tô rindo de alguma coisa na tv ou no micro, me chama de zumbi, vampira, coruja. Ainda quando estou pilhada e querendo conversar, rir, bagunçar, ele aproveita. Triste é quando bate o desespero e fico chorando (acontece, as vezes). Mas hoje em dia ele sai no lucro, antigamente a insonia me deixava em crise existencial e eu queria discutir a relação em plena madrugada…
Não façam isso viu? nada pior que discutir a realação de madrugada no meio de uma crise existencial…

Então, boa noite pra todos e durmam bem!!!