Diário

Oba. Oba. Como estão? Estou com saudade de visitar os blogs amigos, mas não ando com muito tempo, nem com muito pique. Sinceramente, a vida deu uma reviravolta. Estava indo bem, mas semana passada, mais precisamente no domingo, comecei uma recaída que novamente minou minhas energias. Sem dormir, sem comer…ninguem merece! Nunca pensei passar por isso, tem hora que fica dificil administrar os sentimentos, nada que eu nunca tenha experimentado, já tive fases depressivas antes, mas nada que se compare com isso. É tudo muito intenso, muito doloroso.
Por conselho de uma amiga, resolvi escrever mesmo sobre isso.
Não vai ser fácil, mas é uma forma de me ajudar e ajudar outras pessoas que passam pelo mesmo que eu.
Minha vida virou uma bagunça. Eu tenho vontade de fazer as coisas, mas não tenho forças, não tenho coragem. Minha família tá dando a maior força, mas já estamos todos cansados disso, queremos melhora, resultados sabe?  Tambem tenho encontrado muito apoio na terapia. Já o psicólogo as vezes me deixa na dúvida. Semana passada ele falou que se eu continuasse assim ia me encaminhar novamente pro psiquiatra, pra ser medicada. Fiquei em pânico e isso só piorou meu estado. O grupo de fibromialgia tambem tá dando a maior força, lindos, sempre me socorrem nos momentos criticos. Mas quem me aguenta mesmo é minha familia – tô vendo a hora que vão me internar, cheguei mesmo a pensar nisso hoje, várias vezes.
Casamento? Aja amor tanta tristeza, só Jesus pra ter piedade do meu marido, esse guerreiro que não desiste de mim nem quando eu tenho crises de pânico no meio da madrugada. Quase não tá dormindo, coitado.
Essa noite foi cruel, praticamente em claro e minha mente já está fraca, dicifil pensar, quanto mais focar em coisas boas…e eu ando supervalorizando coisas que antes passavam batido, tudo tem uma dimensão enorme pra mim.
Agora a noite tive uma crise de pânico (ou sei lá o que, porque já nem sei direito o que acontece comigo) dentro do mercadinho aqui perto (o mesmo que meu pai foi no dia do acidente), fui comprar um frango e enquanto esperava o açougueiro cortar o bendito, tive vontade de gritar, espernear, pular e gritar mais ainda…faltou ar…nem lembro como paguei a conta, sai de lá voando e subi a rua berrando, ouvi alguem chamar no bar, mas nem dei atenção, cheguei aqui que nem louca, minha irmã levou um susto, ficou doida com o tratamento que tô fazendo. Ligou pro Edu pra cobrar uma solução. Tem que dar um jeito, não dá pra ficar assim. Porque eu só tenho ido no psicologo e ele mesmo vendo que estava em crise, ao invés de mandar direto pro psiquiatra, resolveu esperar. Tá dificil.
E eu tenho esse preconceito com medicamentos.
Na sexta conversei na terapia e falaram muito bem do Hipérico (Erva de São João), me indicaram o chá, mas pesquisei bem e resolvi comprar em cápsulas. Meu marido vai trazer pra mim a noite. Decidi parar a Valeriana, porque se tomada a longo prazo pode piorar os sintomas da depressão. Vou ver se quinta feira consigo encaixe no psiquiatra pra ver esses medicamentos – orem por mim, porque vou no posto de saúde tá?
Por hoje é só, tô um bagaço e nem sei como encontrei força pra vir aqui escrever…

 

Adoro comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s