Lembranças da adolescencia

É sempre bom encontrar velhos amigos, como eu moro no mesmo lugar desde que nasci, tô sempre encontrando pessoal da escola, alguns mudaram muito, uns pra melhor, outros nem tanto.
Interessante é que a maioria das pessoas que tiravam sarro de mim quando por causa do corpo, hoje sente na pele o que eu sentia naquela época e a reação ao me encontrarem é sempre a mesma, elogiam, meio sem graça, e geralmente fazem comparação com o que eu era.
Tempo atrás encontrei um garoto que eu paquerava e deu o maior e mais honesto fora que levei na minha vida, ele disse que eu era ‘engraçadinha’, mas ‘baixinha e gordinha pra ele’.
Uma das minhas melhores amigas dizia o seguinte: “você não é gorda, só é diferente” e quem disse que eu entendia esse “diferente”? – esses dias a gente lembrou disso e ela comentou que se fosse hoje, provavelmente eu faria sucesso…o problema é que naquela época, as meninas levavam tempo pra ‘encorpar’ e eu fui uma garota fisicamente precoce, aos 11, já usava sutiã, tinha peito, coxa, bunda…só não tinha altura. E eu chamava atenção (dos garotos principalmente) justamente por ser diferente da maioria e isso causava inveja (das meninas principalmente), mas eu não via isso, de jeito nenhum…achava que os olhares eram de gozação, sabe como é?
O problema é que eu queria ser igual as minhas amigas, queria me encaixar no padrão da época que dizia que mulher gostosa era mulher magra, alta, de cabelo voando…
Isso não me impediu de ter meus namoradinhos, todos lindos (que fique bem claro!) e nem a paixonite que marcou minha vida…
Hoje encontrei um amigo daquela época e foi maravilhoso, primeiro ver a reação dele quando me encontrou, segundo ver que ele tambem está ótimo, fisicamente, profissionalmente e graças a Deus tem uma família linda, a esposa é linda e ao contrário da maioria dos amigos que (re) encontro, ele não falou mal dela! Parecia que o tempo não tinha passado, mais um pouco a gente sentava na calçada pra conversar, me senti renovada. A gente lembrou das brigas (que eu arrumava sem querer), das brincadeiras, dos jogos na hora do recreio (eu era péssima pra jogar), dos concursos de dança (mico atrás de mico), da dor de cotovelo, da vez que cabulei aula e fui suspensa…dos amigos e das festinhas ao som de Johnny Rivers (não sei se sou tão velha, mas todo mundo gostava de dançar You’ve lost that loving feeling, trocando a vassoura).
Deu vontade de fazer um daqueles encontros de escola, turma dos anos 80 da EEPG Pérola Byington…
Não consigo deixar de pensar que valeu a pena, mas sinceramente, se naquela época eu soubesse o que sei agora…aiaiai!!!!

2 comentários

  1. Cris…
    Sabe que mesmo a gente não se falando tanto, toda vez que recebo um recadinho seu, sinto que o querida que me chama, é realmente sincero!E me faz sentir muito querida mesmo!
    Meu filho está melhor,graças a Deus!Ainda estamos na batalha, mas sei que a vitória está chegando!
    desejo a você muitas bençãos,muito amor,paz, saúde e que você realize cada desejo do teu coração!Obrigada pelo carinho!
    …e quanto as lembranças da adolescência…simplesmente aquela época não tem preço, a gente se divertia, e como você disse, ai se naquela época eu soubesse o que sei hoje,rsrsrsrs
    Também fui como você “diferente”…e hoje sei que esse ser diferente é que tornou meus dias tão especiais!
    beijos no coração,
    Nel

Adoro comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s