No pain, no gain?

Tem gente que acredita que atividade física boa é aquela que deixa a gente com dor. Eu acho que boa é aquela que dá prazer, satisfação, deixa a gente querendo mais. Atividades que exigem muito do corpo, acabam deixando a gente desanimada e arrumando mil desculpas pra ‘faltar’, sem contar que podem provocar lesões, até porque se já está com dor, nem vai perceber que está se machucando. Por isso o ideal é ir devagar e lembrar sempre que dor nunca é um bom sinal.

Massss….

Não é por isso que tu vai fazer corpo mole né? Há um abismo entre ‘ir com calma’ e ‘ser preguiçoso’…

Hoje meu treino foi de circuito. Começou com 20 minutos de spinning (minha ergométrica permite esse tipo de treino), seguido por um treino local concentrado, depois mais 12 minutos pedalando a 75% FCM, mais local, mais 10 minutos de ergométrica e por fim uma aula de abdomem e o alongamento. Foi divertido e apesar do suor, não senti cansaço – ao contrário, terminei a aula bem disposta e animada.

Trabalho concentrado:

Antes eu malhava ouvindo música alta, essa semana o volume baixou, pra me concentrar nos movimentos…é chato, mas tem um objetivo bacana – conectar a mente ao que estou fazendo com o corpo – a música distrai e a gente acaba fazendo tudo automaticamente, as vezes nem presta atenção no musculo que tá trabalhando, ou pior, acaba forçando musculos desnecessários (o pescoço é um grande exemplo) e com isso se cansa mais e pode até sofrer uma lesão…

Terapia:

Hoje fiz minha primeira sessão de terapia, na verdade foi um presente de uma amiga e ao contrário das outras vezes que tentei conversar com um profissional, agora eu adorei. Falamos sobre fibromialgia, compulsão, etc. Ela acha que fiz bem na decisão de mudar os hábitos, mas preciso estabelecer o que exatamente quero e preciso mudar, senão vou ficar perdida o tempo todo, dando voltas sem sair do lugar. Pra começar, me pediu pra fazer uma lista de coisas que gosto e outra de coisas que não gosto pra gente discutir semana que vem, mas até lá, disse pra eu começar a fazer um pouco mais o que eu gosto e evitar o que não gosto ou me causa desconforto. Me aconselhou a me olhar mais no espelho (exercicio de auto aceitação) e perguntar sempre “O que EU posso fazer pra ficar bem agora” e se possível fazer imediatamente (exercicio de responsabilidade) .  De modo geral, a coisa não tá tão feia quanto imaginei (eu tenho salvação) e me sinto mais leve, como se tivesse tirado um peso das costas…

 

Anúncios

3 comentários

  1. Muito legal esta sua estréia com a terapeuta, que bom ter gostado dela. Penso muito, cada vez mais, em também fazer terapia atualmente, estou amadurecendo a idéia, a seguir vou buscar uma boa indicação, vamos ver no que dá.
    Sobre os exercícios, também acho que devem trazer, dentre os benefícios, o prazer, a satisfação, o conforto por terem sido feitos. Senão, vira tormenta. E aí fica fácil demais a gente chutar o balde.
    Gosto de me exercitar em casa com música alta, também. Dá mais pique.
    Vim dar uma espiadinha, deixar um beijinho, desejar a você um maravihoso fim de semana.
    SMACK

  2. Não é normal, dores na malhação, a menos que esteja parada muito tempo e tenha retornado aos exercícios.

    Terapia faz muito bem a alma cris

    boa semana

    bj

  3. Oi queridona, uma passadinha rápida para ver como vai tudo e deixar um abração e um beijinho carinhoso, pelo Dia Internacional da Mulher. Todos os dias são nossos, eu sei…rs Mas é bom ter unzinho especial né?
    Obrigada por tudo, Cris!
    Beijoca

Adoro comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s