A fibromialgia e a mente

 

Os maiores obstáculos que temos na vida não são impostos pela família, nem pelo marido ou a socidade, mas por nós mesmos e só cabe a nós a decisão de derrubar ou não essas barreiras.

Comigo aconteceu de ler um texto no site Saúde que explica como funciona o processo de dor na fibromialgia e ficar indignada, afinal, desde que me conheço por gente convivo com dor em alguma parte do corpo, nunca dei atenção – sempre achei que era por excesso de atividade ou algum movimento brusco ou até mesmo por dormir de mau jeito. Então, concordo que o episódio do tornozelo foi o que desencadeou esse processo de fibromialgia, porque foi realmente muito traumático pra mim. Eu fiquei fragilizada e sensibilizada além do limite.

Sendo assim, eu tinha duas opções: me conformar com as dores e aceitar a fibromialgia como definitiva ou usar a indignação a meu favor, afinal, se o Sistema Nervoso Central é meu, ele tem mais é que trabalhar a meu favor e não contra mim.

Mas, como fazer isso? Pesquisei muito sobre o assunto, e encontrei algumas pessoas que antes não conseguiam sequer levantar da cama e hoje participam de maratona e o melhor, não tomam mais medicamentos, tudo isso porque fizeram mudanças simples não só na rotina diária, mas na mente e na forma de receber as coisas. O primeiro conselho que recebi foi: “Seja feliz agora“.

Então, resolvi trazer mais bem estar pra minha vida. Prazer em fazer coisas simples, alegria em estar viva. Meio que ‘acordei’ pro fato de que sou uma pessoa clinicamente saudável, tenho uma caixa de exames pra provar isso.

Comecei a negociar com a dor, toda vez que sinto dor pergunto pra mim mesma se tem algo que posso fazer pra me sentir melhor, incrível que muitas vezes basta um alongamento pra melhorar. Outras vezes eu simplesmente rejeito a dor, digo: “não senhora, pode voltar para o buraco de onde saiu“. Mas o melhor que tenho aprendido é a raciocinar a dor, muitas vezes sinto dor porque fiz algum movimento brusco ou fiquei muito tempo na mesma posição…então, simplesmente páro e relaxo e volto a ficar feliz porque me lembro sempre, a todo instante que isso não é nada perto do que poderia ter sido.

A verdade é que minha vida não pode parar, não aceito viver em função da dor, eu sou mais forte que ela e ela já está percebendo isso.

E alguém tem dúvida que Deus existe?

Namastê! 

 

Anúncios

9 comentários

  1. Oi Cris! Nossa, adorei suas dicas pra eu não passar mal na malhação, foi um comentário muito simpático!!!
    Vou testar as gotinhas de limão. Aproveitar que eu adoro limão!!! Vai ser quase uma h2O sem gás! rsrsrs
    Infelizmente não posso comer 1h antes de malhar. Bem que eu queria, seria o ideal, mas eu malho às 6:30 da manhã! Mas estou bem melhor, comecei a comer mais carboidrato na janta então acabo tenho mais disposição de manhã cedo. Pelo menos não fiquei mais tonta… (se bem que acho que era o calor, mesmo)
    Ainda não sei se vou mudar de academia, mas estou tendendo mais a mudar, mesmo. Pena que, ainda que eu vá pra mesma academia do maridão, ele não vai no mesmo horário que eu! 😦
    Olha, fibromialgia deve ser o ó. Imagina uma dor constante e sem razão! Credo! Se cuida, vê se não tem que tomar uns antiinflamatórios às vezes…
    Beijoca!

  2. Oi Cris!!! To de volta ao blog!!
    Menina, q legal esse seu trabalho da mente!! Ta certissima!! Fico triste qdo vejo pacientes q simplesmente se tornam dependentes da medicaçao e nem tentam vencer a dor!!! Parabens pela força de vontade!!!
    Beijos, Dani

  3. Cris que bela atitude. Não é fácil largar medicamentos paliativos e ter esse controle de seu próprio corpo.
    A tentação de tomar um analgésico deve ser grande mas percebo que está se dando muito bem.
    Não conheço muito sobre a doença mas vi que você a controla

    boa semana
    bjs

  4. Adorei este post…Tenho Fibro…Junto com LES…E mais Hipotireoidismo…Doenças que me causam muitas dores…Desde os 30 anos…Hj estou com 67 anos. Não enho como explicar mais como é uma dor forte, muito forte, menos forte…Tenho dores o tempo todo…Embora estas doenças estejam “controladas”…Tenho vários médicos que me tratam.
    Estes textos vieram pra me ajudar muito. Até mesmo, para aceitar tanto sofrimento….
    Aprendi a conviver com a dor… Agora vai ser melhor com VOCÊ!

    1. Oi Ester, fico feliz em ver que o texto ajudou. Sabe querida que ontem pensei em apagar esse blog? Mas seu comentario so me fez lembrar que posso ajudar muita gente atraves da minha experiencia e relatos de vida. Conte comigo viu. Sempre.

      Um grande beijo no seu coração e lembre que é um dia de cada vez que a gnt vive.

      Cris

Adoro comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s